logo_anba_pt logo_camera_pt
28/11/2011 - 08:00hs
Compartilhe:

O mestre dos doces árabes

O nordestino Francisco das Chagas Neto aprendeu os segredos da culinária árabe, montou a CH Doces e vende para os principais restaurantes típicos do centro de São Paulo e para outros nove estados.



São Paulo – Francisco das Chagas Neto não é de família árabe, mas foi com a culinária do Oriente Médio, mais precisamente com os doces da região, que ele fez fama e bons negócios. Nascido no Rio Grande do Norte, chegou a São Paulo em 1977, depois de ter morado a infância e a adolescência no Ceará. Trabalhou como servente de pedreiro até que conseguiu emprego em um restaurante árabe. Foi lá que sua história começou a mudar.

Aurea Santos/ANBA
Aurea Santos/ANBA

Chagas comanda equipe de 23 funcionários

No Oriente House, estabelecimento que ficava no bairro do Brás, conheceu a senhora Alice Mawadi, libanesa que lhe apresentou a cozinha se deu país. "Ela me ensinou muito sobre culinária árabe. Foi ela que me passou os segredos da comida", conta o empresário. Ele aprendeu a fazer pratos salgados e também os doces. Com estes últimos, chamou a atenção dos donos de restaurantes da região da 25 de março, a mais árabe das ruas de São Paulo. Montou seu próprio negócio e começou a conquistar sua clientela.

No início da década de 90, a empresa faliu e ele precisou começar tudo de novo. "Fui trabalhar de empregado outra vez. No final de 94, com R$ 1 mil que minha mãe me deu, eu recomecei e fui buscar os clientes todos de novo", relembra. Deste recomeço, surgiu a CH Doces, fábrica que ocupa todo um sobrado na zona leste da capital paulista. Hoje, com 23 funcionários, a maioria migrantes como ele, a empresa produz cinco mil unidades de doces por dia, como mahmul, fatair, travesseiro, triângulo, bassima, almofada, belew, entre outros.

Aurea Santos/ANBA
Aurea Santos/ANBA

Empresa produz 5 mil doces por dia

"Sempre fui comerciante, gostava de vender", afirma Chagas, que pode não ter sangue árabe, mas tem o dom para os negócios, assim como os patrícios. Entre seus clientes estão restaurantes e casas típicas de culinária árabe da região central de São Paulo, como Folha de Uva, Empório Sírio, Raful, Jacob, Ponto Árabe, Confeitaria Pagé e Empório Akkar. Só dentro de São Paulo, a CH Doces vende para 80 clientes, os demais estão espalhados pelo interior do estado e também em Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Espírito Santo e Alagoas.

Além do que lhe passou dona Alice, Chagas nunca fez cursos de culinária, mas não parou de aprender mais sobre o assunto. "Como eu já mexia com comida, era chamado para participar de festas e eventos, aí tinha uma troca de experiência. Vivo trazendo novidades para cá [a fábrica]", relata. A próxima destas novidades serão os doces árabes diet, que devem entrar no mercado em breve.

Com seu trabalho, Chagas desenvolveu um bom relacionamento com a colônia árabe, sendo chamado para promover festas e jantares típicos, nos quais ele cuida de toda a comida, incluindo os pratos salgados como charutinhos de folha de uva, homus, esfihas, abobrinha recheada e outros. "É uma família que me adotou e eu a eles", fala sobre a relação. Durante os anos de 2004 e 2005, Chagas foi responsável pelo buffet do Clube Homs. Hoje é ele que promove os jantares árabes do clube Esperia, que chega a reunir 1,2 mil pessoas.

Aurea Santos/ANBA
Aurea Santos/ANBA

CH Doces fatura média de R$ 120 mil por mês

Entre os ingredientes que compõem os doces estão amêndoas, pistache, nozes, damasco, ameixa, figo, além da brasileira castanha de caju, toque nacional dado pelo empresário aos seus produtos. "Hoje, 60% dos doces são produzidos com estes ingredientes", diz. Segundo ele, os doces que fazem mais sucesso entre os clientes são burma, faisalim, ninhos e a bassima.

Aos 53 anos, Chagas nunca foi a um país árabe, mas vontade não lhe falta. "Tenho o sonho de conhecer o Líbano e a Síria porque são os fabricantes de doces com mais qualidade [do mundo árabe]", afirma. Por aqui, os doces árabes do empresário rendem um faturamento médio de R$ 120 mil por mês.

Contato
CH Doces
Tel.: +55 11 2541-1781
E-mail: atendimento@chdoces.com.br
Site: www.chdoces.com.br

Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form