logo_anba_pt logo_camera_pt
22/10/2014 - 07:00hs
Compartilhe:

Projeto mostra cultura brasileira a crianças em Dubai

Professora Magaly Quadros leva adiante 'A Hora do Conto em Dubai', de forma voluntária, para apresentar aos filhos de brasileiros que vivem nos Emirados a literatura, a música e as brincadeiras do seu país de origem.



Divulgação

Crianças aprendem a pular cordas

São Paulo – Toda quinta-feira, a casa da professora brasileira Magaly Quadros, em Dubai, fica cheia de crianças. A maioria é filho ou filha de brasileiros que vivem nos Emirados Árabes Unidos e que vão até a casa da educadora para ouvir histórias, ver filmes, aprender brincadeiras e cantigas do Brasil. Atualmente, uma média de 20 pequenos, de dois a 12 anos, frequenta a casa da professora uma vez por semana. Eles participam de um projeto que Quadros criou, “A Hora de Conto em Dubai”, e leva adiante de forma voluntária, sem ganhos financeiros, há cinco anos.

Quadros se mudou para Dubai no final de 2007 por uma transferência de local de trabalho do seu marido. Professora de português e com uma filha de cinco anos na época, ela costumava ler histórias para a menina. Um dia, quando estava no país árabe já por dois anos, a professora leu um gibi para a filha. A garota ficou encantada com a historinha e quis que a mãe lesse também para dois coleguinhas. Foi depois disso que Quadros começou a chamar as crianças da vizinhança, e depois de outros bairros, para ouvir histórias em sua casa.

Divulgação

Magaly Quadros e crianças em festa junina

No Brasil, Quadros trabalhou por 20 anos em uma escola particular, norte-americana, e seguiu em contato com a diretora do departamento de português do colégio. Ela ajudou e ainda ajuda a professora a se atualizar quanto às novidades da literatura e da cultura brasileira para crianças. Isso tudo começou a ser repassado aos pequenos em Dubai. As mães também ajudam Quadros a trazer livros, vídeos e outros materiais do Brasil para o projeto.

No começo, “A Hora do Conto em Dubai” era feita no apartamento em que Quadros morava com a família. Depois ela se mudou para uma casa e reservou nela uma das salas, que foi chamada de Sala Brasil, para o momento com as crianças. A brasileira já está em uma segunda residência, atualmente, mas nela também há uma salinha destinada ao projeto.

Divulgação

Um pouco do Natal ao estilo brasileiro

As crianças são postas em contato com personagens da literatura brasileira, como os do Sítio do Pica-pau Amarelo, Turma da Mônica e Cocoricó, por meio dos livros e vídeos. Aprendem a cantar cantigas infantis do País, brincam de amarelinha, bola de gude, entre outras atividades, e celebram datas como Dia das Crianças, Sete de Setembro, Festa Junina, Natal. Muitos, como são filhos de brasileiros com estrangeiros, nem falam o português e acabam aprendendo algumas palavras.

“Foi um desejo da minha filha, tomou conta do meu coração”, conta Quadros para a ANBA sobre o projeto. A professora quer ampliar a iniciativa. O objetivo é ter um local mais adequado e poder ampliar o número de crianças atendidas. Quadros pensa que o programa poderia ser feito em alguma escola, ou mesmo com ajuda de empresas brasileiras que atuam nos Emirados. Ela encaminhou sua ideia para a embaixada do Brasil em Abu Dhabi.

Divulgação

Magaly Quadros: ensino do português

Por pedido das mães, Quadros também passou a dar aulas particulares de português para algumas crianças. Essas aulas, no entanto, são cobradas e são feitas aos sábados, também na residência da professora. Ela tem turmas para crianças de sete a nove anos e para crianças de dez a 12 anos. Quadros já dá aulas particulares de português para estrangeiros adultos.

“Não achei que eu fosse trabalhar com português em Dubai”, afirma a professora, sobre a percepção que tinha antes de se mudar do Brasil para o emirado. No Brasil, Quadros ensinava português para estudantes do Fundamental II e do Ensino Médio. Em Dubai, depois de um ano de moradia, uma amiga quis passar para ela os alunos que tinha com aulas particulares. Ela aceitou e depois chegou a dar aulas por quatro anos em uma escola de línguas. Mas Quadros parou a atividade há cerca de um ano e agora dá apenas aulas particulares.

A professora também faz parte de uma iniciativa chamada “Português como Língua de Herança”, que estuda o ensino do português para crianças que nasceram fora dos seus países (de língua portuguesa) ou que saíram do país ainda pequenas. Ela se integrou ao grupo europeu, apesar de estar fora da Europa. “Eu fui adotada por eles”, conta. A professora também vem tentando reunir os demais educadores brasileiros que moram em Dubai para trabalharem juntos pela educação das crianças do seu País nos Emirados.

Serviço:
A Hora do Conto em Dubai
Site: http://horadocontodubai.wordpress.com/
Facebook: https://pt-br.facebook.com/AHoraDoContoEmDubai

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form