logo_anba_pt logo_camera_pt
20/10/2017 - 07:00hs
Compartilhe:

Instituto do Recife oferecerá intercâmbio para árabes

Câmara Árabe e Conselho dos Embaixadores Árabes farão parceria com centro de inovação para atrair estudantes para experiência em Pernambuco. Eles integrarão programa que cria soluções para problemas da sociedade e empresas.



Isaura Daniel/ANBA

Cavalcante e Hannun falaram sobre o CESAR

Recife – Jovens universitários árabes terão a oportunidade de participar de um programa de desenvolvimento de talentos de Pernambuco chamado Summer Job. A ideia da participação dos árabes foi lançada nesta quinta-feira (19) durante visita de diplomatas árabes e africanos ao Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR).

O CESAR é um centro de inovação que faz parte do parque tecnológico Porto Digital e o Summer Job é uma das suas ações Ele traz para o centro jovens do Brasil e do exterior para uma experiência de seis semanas na qual eles criam soluções para problemas da sociedade ou de empresas, com uso de tecnologia e design.

A integração dos árabes ao programa foi sugerida pelo presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rubens Hannun, e deve ser levada adiante pela entidade em parceria com as embaixadas e com o CESAR. “O papel dos embaixadores e da Câmara é de abrir as portas para acordos”, disse Hannun à ANBA.

O superintendente do CESAR, Sérgio Cavalcante, conta que o Summer Job foi aberto para estrangeiros pela primeira vez em julho deste ano. Vieram estudantes de universidades dos Estados Unidos e entre eles estavam dois árabes, do Egito e da Jordânia. “Eles identificam problemas que se tornam uma oportunidade, prototipam soluções, validam, e têm toda a mentoria para que possam realizar isso em seis semanas”, diz Cavalcante.

Isaura Daniel/ANBA

Diplomatas conheceram o Porto Digital

Os estudantes estrangeiros participam do programa com alunos brasileiros e se integram em equipes. “Essa diversidade faz com que a gente consiga resolver problemas complexos com soluções inovadoras simples”, afirma Cavalcante. Ele diz que tem expectativas altíssimas em trazer excelente alunos árabes. “Para trabalharem conosco e voltarem para seus países e poderem desenvolver soluções para as suas sociedades”, diz.

Os problemas e estudantes não precisam ser da área de tecnologia. Já foram trazidos questões diversas, desde de saúde pública até transporte. Saiu do programa, por exemplo, a criação de aplicativos que ajudaram a reduzir os acidentes de trânsito com motos em Pernambuco.

A próxima edição do Summer Job será em janeiro e Cavalcante acredita que os árabes já possam participar. “É uma excelente iniciativa, vai abrir espaço para os jovens brasileiros de Pernambuco e dos países árabes ampliarem a integração na esfera científica e técnica. Com isso podem encontrar soluções criativas para problemas existentes em ambas as sociedades”, disse o decano do Conselho dos Embaixadores Árabes no Brasil, que é também embaixador da Palestina, Ibrahim Alzeben.

Isaura Daniel/ANBA

Encontro foi encerrado com foto conjunta

A ideia da parceria foi lançada ao final da visita ao CESAR. Antes o grupo de diplomatas árabes e africanos ouviu uma apresentação do presidente do centro sobre o que é o Porto Digital. O parque tem 16 anos e abriga 299 empresas, que empregam 9 mil pessoas. De acordo com Cavalcante, o propósito é criar um ecossistema de alta tecnologia e o CESAR é uma das suas âncoras, que oferece identificação de oportunidades, soluções inovadoras para clientes, projetos de desenvolvimento de novos produtos e serviços, criação de empresas, e promove educação na área.

Um dos objetivos do centro é fazer com que as pessoas sejam mais produtivas. O CESAR defende a inovação por meio de um processo que começa pelo estudo e pesquisa do problema, passando para a realização de protótipos e avaliações, seguidas do desenvolvimento do produto ou serviço e então comercialização e depois captura de dados de uso.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form