logo_anba_pt logo_camera_pt
15/12/2017 - 17:48hs
Compartilhe:

Países árabes ajudam a puxar turismo mundial

Destinos no Oriente Médio e Norte da África auxiliaram o fluxo de viajantes internacionais a ultrapassar a marca de 1,1 bilhão de janeiro a outubro, um aumento de 7% sobre o mesmo período de 2016.



São Paulo – Destinos no Oriente Médio, Norte da África, Sul da Europa e Mediterrâneo impulsionaram o crescimento do turismo internacional de janeiro a outubro deste ano, segundo o Barômetro do Turismo Mundial da Organização Mundial do Turismo (UNWTO, na sigla em inglês), divulgado nesta quinta-feira (14). O número de viajantes circulando pelo mundo chegou a 1,127 bilhão nos dez primeiros meses de 2017, um aumento de 7% sobre o mesmo período de 2016.

De acordo com a UNWTO, países árabes registraram desempenhos significativos de janeiro a outubro. Egito, Tunísia e Palestina vivem um momento de forte retomada no recebimento de visitantes, após um período de declínio nos últimos anos, ao passo que Marrocos, Bahrein, Jordânia, Líbano, Omã e Emirados Árabes Unidos seguem mantendo um crescimento sustentado na atração de turistas.

Outros destaques foram o Sul da Europa e a região mediterrânea do continente. “Este resultado robusto, o melhor que tivemos em muitos anos, reflete a demanda sustentada por viagens ao redor do mundo, que segue a melhora da economia global e a retomada em destinos que sofreram declínio nos últimos anos”, afirmou o secretário-geral da organização, Taleb Rifai, em comunicado.

A UNWTO promoveu esta semana uma conferência sobre turismo e cultura em Omã, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). “Nós precisamos reconhecer a resiliência do turismo refletida no crescimento contínuo de muitos destinos do Oriente Médio e a rápida recuperação de outros”, observou Rifai, segundo o comunicado.

No Norte da África, o turismo cresceu 13% de janeiro a outubro, ao passo que no Oriente Médio o número de visitantes aumentou 5%. A América do Sul registrou um avanço de 7% e liderou o crescimento nas Américas.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form