logo_anba_pt logo_camera_pt
01/01/2018 - 07:00hs
Compartilhe:

Bolsas de estilo brasileiro no Líbano

A empreendedora Katia Aawar criou no pais árabe a Hands Secrets, marca de bolsas feitas com a técnica patchwork. Nascida no Líbano e criada no Brasil, ela tem planos de crescimento para o negócio recente.



Divulgação

Katia Aawar mostra bolsa Hands Secrets

São Paulo – O patchwork não é muito difundido no Líbano e foi com base nele que a libanesa e brasileira Katia Aawar criou a sua marca de bolsas, a Hands Secrets, no país árabe. Nascida no Líbano, mas morando no Brasil desde a infância, foi após o retorno à terra de origem, já na vida adulta, que Katia resolveu se tornar empreendedora. Ela confecciona bolsas com a técnica inusitada para a moda libanesa, a união de tecidos em formatos e cores variadas.

Os primeiros produtos da Hands Secrets foram feitos há cerca de um ano. Kátia contou para a ANBA por telefone que começou inicialmente a costurar como uma terapia ocupacional. Mas as bolsas resultantes daquele exercício pessoal foram sendo apresentados às amigas e à comunidade brasileira no Líbano, a empreendedora fez cursos na área, criou uma marca para os produtos e, aos poucos, a iniciativa foi ganhando também perfil de negócio.

As bolsas são feitas com material importado do Brasil. Katia conta que só ocasionalmente compra no Líbano alguma matéria-prima de emergência. Tirando isso, desde as linhas até o tecido e as alças têm origem brasileira. As bolsas são feitas em tecido e a maioria leva alças de couro. As peças são todas exclusivas, a empreendedora não confecciona uma bolsa igual a outra. Eventualmente ela produz ao gosto do cliente, segundo pedido de cores e estilo.

Algumas peças são comercializadas em lojas no Líbano, mas a maior parte das vendas ainda é feita diretamente por Katia aos seus conhecidos ou com pedidos via internet, pelas redes sociais da brasileira ou da marca. O preço médio das peças fica entre US$ 80 e US$ 90, mas é possível comprar uma carteirinha de mão a partir de US$ 40. Dentro de um mês, a dona da marca pretende colocar no ar um site próprio da marca com uma loja online.

Divulgação

Peças são feitas com materiais brasileiros

Katia Aawar tem muitos planos para a Hands Secreets, entre eles colocar no mercado uma coleção chamada Chita Bonita. A ideia é dar um cunho social para a linha, chamando mulheres refugiadas que vivem no Líbano para bordar o tecido com os quais a brasileira fará as bolsas e outras peças, como jogos americanos e capas de almofadas. Parte da renda será revertida para projetos sociais no país árabe.

Além de produzir as bolsas, Katia dá aulas particulares de costura criativa e patchwork. Em breve ela deve começar a oferecer as classes no Centro Cultural Brasil Líbano, que é o braço cultural da embaixada do Brasil em Beirute. Está nos planos da empreendedora também dar aulas para meninas a partir de nove anos.

Apesar de ter nascido no Líbano, Katia voltou para o Brasil com seis anos de idade e passou a maior parte da sua vida em cidades brasileiras. Filha de pai libanês e mãe brasileira, ela morou em Minas Gerais e também na Bahia, e voltou para o Líbano há cerca de dez anos, em 2008. Katia começou a faculdade de Psicologia, mas a maior parte da sua vida profissional no Brasil foi em vendas. Quando o pai faleceu, Katia era ainda adolescente e logo passou a ajudar na renda da família.

No Líbano, a brasileira é conhecida principalmente por sua atuação em projetos sociais. Ela colocou em pé um projeto que uniu arte e reciclagem, por meio do qual fez exposições e atividades na área com crianças, pessoas especiais, idosos e refugiados. Atualmente Katia Aawar também lidera um grupo de mulheres artesãs no Líbano, com o objetivo de levar renda, ocupação e melhorar a autoestima de brasileiras que são donas de casa no interior libanês. 

Contato:

Hands Secrets
Facebook: https://www.facebook.com/katiaHSbags/
Telefone: +971 71 141 602

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form