logo_anba_pt logo_camera_pt
28/12/2017 - 18:45hs
Compartilhe:

Líbano e Kuwait estão no 20º Festival Videobrasil

Obras das artistas kuwaitianas Alia Farid e Monira Al Qadiri e dos libaneses Roy Dib e Haig Aivazian podem ser vistas no Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, com exposição em diversos espaços do Sesc Pompeia.



São Paulo – Obras de artistas do Kuwait e do Líbano podem ser conferidas no 20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, que vai até 14 de janeiro de 2018, no Sesc Pompeia, na capital paulista. A temática do festival é a produção cultural do Sul Global, espelhando as inúmeras crises da sociedade contemporânea. A exposição Panoramas do Sul mostra o desejo da arte de ampliar e subverter as concepções de mundo. 

Divulgação

Tapeçaria iraniana de igreja porto-riquenha

A programação começou em outubro. Com foco na representatividade geopolítica da arte, o festival selecionou vídeos, pinturas, instalações, esculturas, fotografias e gravuras de 50 artistas de 25 países, entre eles, 15 brasileiros e quatro artistas árabes, sendo dois libaneses e duas do Kuwait. Há ainda representantes da América Latina, África e Ásia.

A kuwaitiana Alia Farid vive entre a Cidade do Kuwait e Porto Rico, e fez uma série de tapeçarias que resulta da parceria com Jesus ‘Bubu’ Negrón. A dupla de artistas enviou fotografias de mesquitas de Porto Rico e da República Dominicana, na América Central, para tecelãs iranianas, que transformaram as imagens em tapeçarias. As peças discutem as tensões do trânsito cultural e migratório contemporâneo e seu papel na transmissão de signos, emblemas e costumes.

A instalação do libanês Roy Dib é resultado de uma performance que ocorreu no início do festival. “Here and There – São Paulo Edition”, conta a história de Alepo, uma das cidades sírias mais atingidas pela guerra. Lá, quem não tem refúgio usa cortinas e tapetes costurados para se proteger. Na performance, uma parede-cortina foi erguida por uma atriz que costurou retalhos de tecidos orientais enquanto declamava um texto. A instalação da parede-cortina ainda pode ser vista no Sesc Pompeia.

Monira Al Qadiri nasceu no Senegal, foi criada no Kuwait e hoje vive lá. Estudou estéticas da tristeza no Oriente Médio na Universidade de Artes de Tóquio, e seus trabalhos falam sobre religião, política, dissolução de identidades e da questão do petróleo no Kuwait.

Divulgação

Spectrum 1, obra de Monira Al Qadiri

Duas de suas obras fazem parte do festival. OR-BIT 1 é uma escultura espiralada que flutua, e Spectrum 1 traz seis brocas de perfuração de poços petrolíferos emergindo de uma parede na direção do público, como se ele fosse o combustível extraído. As duas esculturas são parte de uma investigação do impacto da descoberta e exploração do petróleo no Golfo durante a primeira metade do século 20.

A vídeo-instalação “Not Every Day is Spring”, do libanês Haig Aivazian, conta a história da vida do músico turco Udi Hrant Kenkulian, que se tornou um símbolo das violências cometidas contra a população armênia.

As obras dos quatro artistas árabes podem ser conferidas no Sesc Pompeia. Para mais informações sobre espaços em que estão expostos e horários para visitação, acesse http://www.festivalsescvideobrasil.org.br.


Serviço

20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil
Sesc Pompeia - Rua Clélia, 93, Pompeia São Paulo
Visitação de 3 de outubro de 2017 a 14 de janeiro de 2018
Terça a sábado, das 9h às 22h
Domingos e feriados, das 9h às 20h
Entrada gratuita

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form