logo_anba_pt logo_camera_pt
26/01/2018 - 13:03hs
Compartilhe:

Negócios Brasil-países árabes podem avançar, diz embaixador

Malek Twal, embaixador da Jordânia em Brasília, se reuniu com diretores da Câmara Árabe para discutir a realização do Fórum Econômico Brasil-Países Árabes, em 02 de abril, e de encontro entre empresários brasileiros e jordanianos.



São Paulo – O embaixador da Jordânia em Brasília, Malek Twal, esteve na manhã desta sexta-feira (26) na Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo, para discutir a realização do Fórum Econômico Brasil-Países Árabes, em 02 de abril, e do encontro empresarial Brasil-Jordânia, no dia seguinte. Ambos os eventos vão ocorrer na capital paulista.

Alexandre Rocha/ANBA

Twal: precisamos capitalizar em cima do crescimento do comércio

“O Fórum Econômico Brasil-Países Árabes é muito importante, pois quando falamos de Brasil, trata-se de um grande país que representa metade da América Latina, e do outro lado são 22 países árabes”, disse o diplomata à ANBA, após reunião com o presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun, o diretor-geral Michel Alaby, o conselheiro sênior da presidência, embaixador Ramez Goussous, o assessor de projetos especiais Tamer Mansour e a analista de marketing Tâmara Machado.

“Há dez anos o comércio bilateral cresce continuamente, mesmo em tempos de crise, e isso é algo que precisamos capitalizar para desenvolver ainda mais as relações econômicas. Há muitas possibilidades”, destacou Twal. “Brasil e países árabes têm muito em comum, são nações em desenvolvimento, com desafios semelhantes, mas ricos em recursos naturais e em capital humano. Temos amplas oportunidades para trabalhar juntos por um futuro melhor para nossos povos”, acrescentou.

O Fórum Econômico Brasil-Países Árabes será organizado pela Câmara Árabe, com apoio da União das Câmaras Árabes, presidida pelo jordaniano Nael Al Kabariti, e da Liga dos Estados Árabes, instituição que reúne os governos da região.

Já o encontro empresarial Brasil-Jordânia, segundo o embaixador, deverá contar com ampla participação de empresários de seus país de setores como os de alimentos, infraestrutura, produtos farmacêuticos, cosméticos, indústria aeronáutica e turismo. Ele espera pelo menos 50 homens de negócios jordanianos.

De acordo com o diplomata, há interesse de investidores jordanianos em indústrias brasileiras como as de alimentos e de produtos farmacêuticos. No primeiro caso, o objetivo é garantir o abastecimento do mercado jordaniano, e no segundo, a meta é entrar no mercado brasileiro.

A Jordânia quer também incentivar investimentos brasileiros em sua indústria, com destaque para os setores aeronáutico e de veículos. Na área de infraestrutura, a ideia é atrair empresas do Brasil para projetos na Jordânia e de reconstrução dos vizinhos Síria e Iraque. “O objetivo é fazer as relações Jordânia-Brasil darem um passo adiante”, comentou Twal.

Na seara oficial, há expectativa que os ministros da Indústria e Comércio e dos Investimentos do país árabe participem do encontro.

Twal acrescentou que pode ser negociado entre o departamento alfandegário da Jordânia e a Câmara Árabe um acordo para a implementação do sistema de certificação online de exportações desenvolvido pela entidade brasileira.

Fique de olho na ANBA, no site da Câmara Árabe (www.ccab.org.br) e nos perfis da entidade nas redes sociais para saber novidades sobre o Fórum Econômico Brasil-Países Árabes e sobre o encontro empresarial Brasil-Jordânia.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form