logo_anba_pt logo_camera_pt
14/04/2014 - 17:37hs
Compartilhe:

Avicultura: volume exportado cresce, mas receita cai

Embarques avançaram 0,4% no primeiro trimestre, mas receita foi 11,5% menor do que no mesmo período do ano passado. Câmbio influenciou resultado.



São Paulo – As exportações da avicultura brasileira cresceram em volume, mas tiveram receita menor no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2013. De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (14) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), os embarques do setor somaram 950,2 mil toneladas de janeiro a março deste ano, um aumento de 0,4% sobre os três primeiros meses de 2013. Já a receita obtida caiu 11,5% e ficou em US$ 1,832 bilhão.

De acordo com o vice-presidente de Aves da ABPA, Ricardo Santin, a receita caiu devido à valorização do real e a um aumento do preço do milho, principal insumo no setor. Mesmo assim, afirmou o executivo, o desempenho para o período foi bom.

“É um resultado positivo porque nós conseguimos superar os volumes que exportamos no começo de 2013. A receita foi menor, devido em parte ao câmbio, mas estamos em equilíbrio. Queremos retomar a receita, mas o balanço que fazemos é positivo porque estamos dentro que foi determinado”, afirmou Santin. Ele observou que houve sobreoferta de produtos no Oriente Médio no ano passado.

Em março, o volume exportado pelo setor somou 332,3 mil toneladas, com aumento de 0,2% sobre março do ano passado. Já o faturamento foi de US$ 640,9 milhões, com queda de 14,3% na mesma comparação.

Entre as exportações da avicultura, que compreende frangos, ovos, patos, perus, marrecos, material genético e ovos férteis, os embarques de carne de frango corresponderam a 95,5% do total. As vendas do produto no trimestre somaram US$ 1,705 bilhão, com queda de 11,5% na comparação com os três primeiros meses do ano passado. O volume embarcado, de 907,3 mil toneladas, foi 0,7% maior.

O Oriente Médio continua a ser o principal destino das exportações de carne de frango brasileiras. Entre janeiro e março foram embarcadas para a região 332 mil toneladas, uma queda de 4,6% em comparação com o mesmo período do ano passado. As vendas para a Ásia, que é o segundo principal destino, subiram 7,5% e somaram 270,5 mil toneladas. Para a África, o aumento foi de 1,7% e o volume chegou a 125,3 mil toneladas.

As vendas para a União Europeia caíram 0,8% e foram de 101 mil toneladas. Os países das Américas importaram 58,8 mil toneladas (aumento de 6,1%), os da Europa fora da União Europeia compraram 18,9 mil toneladas (redução de 7,4%) e os da Oceania receberam 536 toneladas (alta de 18,6%) de carne de frango brasileira no primeiro trimestre deste ano.

As vendas de ovos tiveram redução em receita e em volume. Segundo os dados da ABPA, no primeiro trimestre do ano foram exportadas 3,7 mil toneladas de ovos, volume 26,8% menor do que no mesmo período de 2013. O faturamento foi de US$ 5,2 milhões, uma redução de 41,5% na mesma comparação.

Segundo Santin, a redução nas vendas dos ovos ocorreu em consequência do aumento das vendas no mercado doméstico. “Os ovos correspondem a 1% da produção do setor, então qualquer mudança na demanda e nas vendas já provoca impacto nas exportações”, disse. A ABPA foi criada em março deste ano e substituiu a União Brasileira de Avicultura (Ubabef) e a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), que foram extintas para a criação da nova associação.

Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form