logo_anba_pt logo_camera_pt
18/12/2011 - 07:00hs
Compartilhe:

Mercosul e Palestina assinam acordo na terça

Os dois lados prometem firmar um tratado de livre comércio na cúpula do bloco sul-americano em Montevidéu, no Uruguai. Palestinos buscam o reconhecimento de seu estado na ONU.



São Paulo – Mercosul e Palestina prometem firmar na terça-feira (20) um acordo de livre comércio. A parceria deve ser assinada durante a cúpula do bloco sul-americano em Montevidéu, no Uruguai, pelos chefes de estado do Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina, e pelos ministros palestinos da Economia, Hassan Abu-Libdeh, e das Relações Exteriores, Ryad Al-Malki.

À ANBA, o embaixador da Palestina em Brasília, Ibrahin Al-Zeben, disse que a assinatura do acordo é fundamental para a soberania do estado Palestino e tem grande importância estratégica para o país. “Abre espaço para a fluidez de comércio com o Mercosul, que hoje sofre restrições econômicas [de Israel]. Com o acordo ficamos livres destas restrições”, afirma.

Atualmente, os produtos que a Palestina exporta vão para Israel e, de lá, partem para o local de destino. Por isso, são classificados, em muitos casos, como produtos exportados por Israel. A partir do tratado que será celebrado com o Mercosul, estes produtos serão identificados com a procedência original.

Segundo o Itamaraty, a principal demanda dos palestinos é por produtos manufaturados. Al-Zeben afirma que a Palestina precisa essencialmente de alimentos. Entre eles, principalmente carnes e grãos, mas também produtos industrializados, como chocolate. Por seu lado, a Palestina pode exportar artesanato religioso, azeite e mármore.

“Para o Mercosul o acordo também é benéfico, pois abre acesso a um mercado emergente, em vias de reconstrução. Abrirá oportunidades futuras especialmente no setor de construção civil”, diz Al-Zeben.

A Palestina busca seu reconhecimento como estado nas Nações Unidas, mas depende de aprovação pelo Conselho de Segurança. Os Estados Unidos, no entanto, já anunciaram que irão utilizar seu poder de veto. Mas a Agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) hasteou a bandeira palestina pela primeira vez na terça-feira (13). Para a Unesco, a Palestina é o 195º estado-membro.

A Palestina tem acordo de livre comércio com os países árabes e com a União Europeia. O Mercosul tem um tratado do gênero com Israel, que entrou em vigor em 2010, após ter sido assinado em 2009.

O compromisso com os palestinos não deverá entrar em vigor imediatamente porque os parlamentos dos quatro países sul-americanos precisam votar a iniciativa. Entre janeiro e novembro deste ano, o Brasil exportou US$ 14,2 milhões em produtos para a Palestina e, no mesmo período, importou US$ 17 mil.

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form