logo_anba_pt logo_camera_pt
29/04/2012 - 07:01hs
Compartilhe:

E se tiver dabke no casamento?

Assessoria paulistana ajuda noivos a prepararem casamento ao estilo árabe. Dançarinas com candelabros, banda com música da colônia e pintura com henna nas mãos femininas são alguns dos rituais.



Juliana Pessoa
Juliana Pessoa

Estilo árabe: noivos são carregados

São Paulo – O casal de noivos entra no salão de festas com o caminho aberto por dançarinas árabes levando candelabros sobre a cabeça. Depois é um grupo de homens, vestidos de árabes, que faz a dança das espadas. O que segue é uma festa animada, com muita comida típica do Oriente Médio, grupo de dabke chamando todos para dançar, banda tocando música árabe e até doces das arábias para finalizar. Mais ou menos assim é o casamento árabe que a Mariée Produção de Eventos, empresa da capital paulista, ajuda noivos a organizarem.

Juliana Pessoa
Juliana Pessoa

Danças da colônia integram ritual

"Fica muito bonito, os convidados brasileiros gostam bastante do casamento árabe, o ritual é muito alegre, anima bastante os convidados", explica a relações públicas Joyce Melchior, proprietária da Mariée. A empresa de Melchior, que foi aberta no começo do ano passado, faz assessoria para casamentos, e o primeiro enlace para o qual foi contratada era de uma descendente de libaneses, que queria incluir a cultura árabe na sua comemoração.

Foi a partir daí que a relações públicas foi atrás de apresentar para a noiva todos os elementos da cultura árabe possíveis de inserir em um casamento no Brasil. Mas a Mariée não entrega a festa pronta para os noivos, apenas os orienta e acompanha. O casal informa o seu estilo, o que está buscando na festa, quantidade de convidados e a empresa monta um projeto para o casamento, com projeção de custos e indicações de três fornecedores de cada área, desde o buffet mais adequado para a festa desejada até doces e lembrancinhas.

No caso de um casamento árabe há vários rituais que a Mariée indica. Um deles é a entrada dos noivos, no salão de festas, antecedidos por dançarinas do ventre levando candelabros com velas sobre a cabeça. Ao final da dança, os noivos apagam as velas e dançam, então, uma música árabe. Também pode ter a dança da espada, apresentada por um grupo de dançarinos, e apresentação de grupo de dabke, que é uma dança libanesa grupal muito animada. Há ainda a possibilidade de pintura das mãos das mulheres com henna, antes da cerimônia.

A comida é uma peça chave, já que o buffet pode ser todo árabe. A mesa de doces pode ter doces árabes ou um mix com doces brasileiros finos, como pedem alguns noivos, conta Melchior. “No casamento árabe, normalmente é servido um coquetel antes, e depois o jantar. Eles gostam de comida farta”, explica a dona da Mariée. Alguns casais de descendentes também costumam contratar duas bandas, uma de música árabe e outra bem brasileira, como, por exemplo, uma escola de samba. Até agora, os casamentos árabes que tiveram assessoria da relações públicas eram de noivos cristãos e não muçulmanos.

Divulgação
Divulgação

Joyce: assessora de casamentos

Melchior afirma que a procura pelo casamento árabe está crescendo e que pode fazer também casórios muçulmanos. “Não existe uma assessoria que trabalhe só com isso e há muitos descendentes que querem colocar a cultura deles no casamento”, explica a empresária. Ela diz que a comemoração não precisa, necessariamente, ser feita em um clube árabe, mas em qualquer espaço, de acordo com o número de convidados do casal e da família.

Andrea Dias
Andrea Dias

Mariée também assessora cerimônias tradicionais

A Mariée, no entanto, não ajuda a preparar apenas casamentos árabes. Ela assessora qualquer tipo de casório, segundo o pedido dos noivos. Agora está acompanhando a organização de um casamento no qual a noiva é do Brasil e o noivo mexicano. A festa terá mariachis. Não importa a cultura ou o perfil pedido, se a empresa não tiver eventos do tipo no currículo, pesquisa e faz a festa. Algo que está na moda, conta Melchior, é o casamento em Paris. Normalmente eles são feitos só para o casal, na lua de mel, após a comemoração com família no Brasil.

A relações publicas se formou na Faculdade Cásper Líbero em 2005 e tem 28 anos. Começou a carreira trabalhando em eventos médicos, no Hospital Sírio Libanês e na Associação Paulista de Medicina. Depois, querendo focar em outra área, foi trabalhar em Marketing em um estúdio fotográfico. Foi ali que teve contato com as noivas e viu como precisavam de ajuda para preparar os seus casamentos. Decidiu, então, abrir a Mariée Produção de Eventos, que leva adiante até hoje.

Contato:
Mariée Produção de Eventos
Telefone: +55 (11) 29012405
E-mail: contato@assessoriadiadocasamento.com.br
Site: www.assessoriadiadocasamento.com.br

Enviar por E-mail:





Comentários

Seu comentário será enviado para um moderador antes de ser publicado.





imagem_form